Faça da respiração um hábito

Atualizado: 20 de out. de 2021

“Conseguimos estar alguns dias sem comer, alguns dias sem beber, mas apenas alguns minutos sem respirar”.

Esta pode ser uma frase feita, mas nem por isso deixa de ser verdade. É através da primeira

respiração, que mostramos ao mundo que estamos vivos. Mas também é depois do último

suspiro, que passamos para outros planos.

O ato de respirar, é de extrema importância para a nossa existência. Mas também o é para a

prática de Yoga, tal como nos diz Swami Krishnamacharya, que para muitos é conhecido como o pai do Yoga moderno:

“ A respiração é fundamental para o Yoga porque a respiração é fundamental para a vida... e o Yoga é sobre a vida.”



Na prática do Yoga, a respiração é mais explorada e desenvolvida através das técnicas do

pranayama. É por aí que se começa a ter uma maior consciência da maneira como respiramos, para a reeducarmos de forma a utilizar mais e melhor a nossa capacidade pulmonar. Capacidade essa, que normalmente não vai para além dos 30% na utilização do dia-a-dia.

Depois com uma prática continuada, conseguimos atingir uma forma mais profunda, como por exemplo:

  • Regular o sistema nervoso simpático e parassimpático;

  • Estimular de todo o nosso corpo energético;

  • Aquietar e estabilizar a nossa mente, funcionando como uma ferramenta de pré-meditação.


Mas para que tudo funcione, é necessário começar por fazer uma respiração consciente.

Mas o que é isso de respiração consciente?

Por vezes é difícil perceber o que isso é, pois respirar é algo que sempre fizemos na vida e nem precisamos de dar muita atenção para que aconteça. Normalmente nem sequer damos atenção à expiração, que é tão curta, que só nos apercebemos que ela existe quando temos de inspirar!

Então, a respiração consciente é quando nos apercebemos de todo esse processo e de quando levamos toda a nossa atenção para o ato.



Consciência para os músculos que utilizamos, incluindo o diafragma; para a nossa capacidade pulmonar; para o tempo demoramos a respirar, etc. E essa é a primeira fase da respiração no Yoga.

Dificilmente se consegue meditar, ou apenas relaxar ou descontrair, sem passarmos por essa fase que podemos chamar de preliminar.

E sem fazer exercícios muito complicados e exigentes, o iniciante consegue obter facilmente alguns efeitos, pois respirar é algo que já fazemos naturalmente e torna-se mais fácil regular a respiração. Foi assim comigo desde a minha primeira aula e acredito que será também consigo.


E se juntarmos essas técnicas de respiração às posturas, às técnicas de limpeza, relaxamento ou meditação, então conseguiremos uma combinação fantástica que irá contribuir e muito para a sua evolução enquanto praticante de Yoga.


Irei abordar este tema no próximo VIVA+YOGA, onde poderemos aprofundar também outros assuntos como a descontração e a meditação. Espero vê-lo por lá.

Entre no nosso site em www.VivaMaisYoga.com e assine a newsletter para estar por dentro de todas as novidades que temos reservadas para si.

70 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo